zondag 22 augustus 2010

Cuspindo Palavras e Bírgulas e Coisos que tais *(

Tal como na vida, também nestes espaços imaginários
Segregamos
Tolerância são palavras vãs
Somos tolerantes enquanto não nos incomodam
Defendemos a abolição dos muros
Defendemos moldavos e ciganos
Palestinianos e israelitas
Liberdade de expressão e diversidade de opiniões

Mas se o outro
é estranho na escrita, se bírgulas e pontuações variadas num usa
se em falácias, equisetáceas e merdáceas escasseiam suas frases
e ainda por cima não percebemos o que quer

o defensor da liberdade torna-se censor
o libertador vira carcereiro
o vira-lata sofre metamorfoses
de pedinte a milionário
de rebuscador no lixo, a ladrão e quiçá assassino
as vírgulas até podem salvar vidas
mas isolam o desespero, do bombista suicida
isolam as consequências, das causas, isolam a realidade, em pequenos universos


Tolerância por aqueles que estão à nossa volta claro que temos

um pouquinho mais longe de nós

nem por isso...

os blogues são como o mundo

à nossa volta é a fronteira do ego

além dessa está o que não queremos saber

o mundo acaba em nós
fora do universo dos nossos interesses
nada há

As crenças ou a falta delas, assim como o amor ou a sua ausência,separam-se por vírgulas, vírgulas que
são a soma e o produto(sem significado matemático)
de toda a gama de emoções humanas.
Podemos dividir com ódio, perdão, traição, aceitação,negação, .
Podemos somar-lhes ou subtrair-lhes hipocrisia, compaixão, dor, massacre, desespero.
Quando alguém minimamente humano, ou deveria dizer inhumano,se consegue abstrair, dessas pequenas idiossincracias e pensar que os suicidas também são iguais a si próprio, se alguém conseguir ver em si, um suicida em potência, um assassino, um censor, talvez consiga compreender o ateu, o extremista, o ladrão e todos os homens, por virgúlas separados.

Geen opmerkingen:

Een reactie plaatsen